Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Wednesday, 04 de April de 2018 - portalriomaina@live.com

Geral

Imóvel no Rio Maina será usado para capacitação de trabalhadores em Criciúma

Imóvel no Rio Maina será usado para capacitação de trabalhadores em Criciúma

A doação por sessão de uso de um imóvel do Governo do Estado, em Criciúma, para ser utilizado por servidores e trabalhadores em atividades de qualificação profissional foi aprovada por unanimidade, em turno único, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

O imóvel em questão está localizado no Distrito do Rio Maina, na rua Miguel Napoli, no loteamento residencial Manuela. O prédio ficou conhecido pela população por abrigar em passado recente o Batalhão da Polícia Militar na cidade.

O projeto teve como relator o deputado estadual Valmir Comin que defendeu o PL nº 0536.6/2017, com parecer favorável na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. Para ele, o cenário hoje exige qualificação constante, a concorrência é imensa e as pessoas precisam estar prontas para o mercado de trabalho. “Como o pedido é para a utilização de um prédio que está ocioso, não tem como não batalhar para ver naquele espaço um aproveitamento que vai mudar para melhor a vida dos trabalhadores. A liberação deste espaço é fundamental, dada a importância dos profissionais de se atualizar e se qualificar”, resumiu Comin.

ACOMAC vai reformar e utilizar o espaço


A Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção da Região Sul (ACOMAC – SUL) que luta há anos pela oportunidade de conseguir um espaço adequado, será beneficiada, recebendo o prédio para atuar em programas de qualificação para aprimorar e capacitar profissionais da área em toda a região.

Conforme informações do diretor executivo da Acomac e da Fecomac, Júlio João Pereira, a meta é iniciar o projeto ainda no segundo semestre. “Vamos adotar o local, fazer uma grande reforma, com colocação de pisos, janelas, portas, pinturas e instalações de fiação. O espaço servirá para capacitação e reciclagem de pessoas que precisam de qualificação”, explicou Pereira.

Segundo ele, um banco de dados com os profissionais será montado. Serão beneficiados não somente os lojistas e os consumidores, mas todos que integram esta cadeia de serviços, que serão indicados para o trabalho após formalizada a capacitação. “Vamos certificar a mão de obra. Faremos parcerias com o Sinduscon, com o SENAI, queremos oferecer profissionais preparados para o mercado de trabalho, que conquistem a confiança do consumidor”, pontuou.

Pereira alerta que é um projeto duradouro, mas que tem bons resultados como meta. “É complexo de se explicar, mas temos a certeza do sucesso. A formação técnica é o melhor caminho para o nosso público alvo, que são os trabalhadores da construção civil. A economia será diferenciada com os resultados”, garante.

A cessão de uso será concedida pelo prazo de cinco anos. Agora o projeto aguarda ser sancionado pelo governador.

Texto: Kênia Pacheco