Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Domingo, dia 07 de Agosto - portalriomaina@live.com

Trânsito

Trechos da BR-101 recebem melhorias com microrevestimento

Trechos da BR-101 recebem melhorias com microrevestimento

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) vai realizar durante os próximos dias, melhorias no pavimento da BR-101 Sul catarinense, entre os municípios de Tubarão a Içara. Os trabalhos serão feitos pelo processo de aplicação de microrevestimento, mais rápido e dispensando extração das camadas de asfalto. O asfalto de microrevestimento a frio foi adotado para trabalhos de melhorias na camada superficial de pistas, pois tem custo reduzido, é mais rápido para aplicar e traz melhor resultado na aderência aos pneus, impermeabilidade em dias de chuva e maior segurança para os usuários da rodovia federal.

Mais fino que a camada externa de pistas, de fácil aplicação e de custo reduzido, o microrevestimento a frio utiliza polímeros na composição. Descarta o processo de fresagem para aplicação, que consiste na retirada da camada asfáltica superficial com auxílio de equipamentos. Aplicado sobre as pistas, o novo pavimento impermeabiliza todo o conjunto de camadas graças ao reduzido tamanho do material utilizado.

O DNIT iniciou o processo de aplicação do pavimento em janeiro passado, em quatro trechos da BR-101 Sul, nos km 330 (Rio Capivari) ao km 332 (viaduto de acesso ao Revoredo) e entre o km 335 ao km 336 (Morrotes), todos em Tubarão. Foi aplicada camada superficial em apenas uma das faixas, em cada sentido de fluxo, nos segmentos. Os locais de instalação do microrevestimento são visíveis quando se transita pela rodovia, pois possuem coloração mais escura em comparação ao pavimento tradicional.

Já foram aplicados cerca de 145 mil metros quadrados de pavimento de microrevestimento, correspondente a 21 quilômetros de pistas. A autarquia deu prioridade na instalação do pavimento em segmentos mais desgastados e curvas, em Tubarão (próximo ao barro São Cristóvão), Treze de Maio e Jaguaruna (km 348 ao Morro da Cebola e Morro Azul) e Morro da Fumaça (km 366, Morro do Orvalho).

As vantagens do uso deste tipo de processo estão ligadas a maior segurança, ao maior nivelamento da pista, preservação de ralos, bueiros e caixas de inspeção, menor geração de poluentes, maior adesão ao pavimento existente. Com o uso do microrevestimento a frio, a retenção de tráfego é reduzida bem como a impermeabilização de trincas é feita com maior eficiência.

Para comparação, em trabalhos rotineiros de melhorias nas pistas são necessários um equipamento fresador, um trator varredor, caminhão para aplicação de ligante/impermeabilizante, trator aplicador de CBUQ (Cimento Betuminoso Usinado a Quente,), caminhões basculantes para transporte de massa asfáltica e rolo compressor para adensamento. No processo de aplicação do microrevestimento é utilizado apenas uma usina móvel, atrelada a um caminhão.

O pavimento microrevestido não substitui as três camadas asfálticas que compõe as pistas duplicadas da BR-101 Sul. Em alguns pontos, o revestimento tradicional chega a 20 cm, enquanto o pavimento em avaliação chega a ter 1,5 cm. O objetivo do teste é avaliar o comportamento da aplicação quanto ao fluxo elevado de veículos. Pela reduzida dimensão, mesmo em grandes extensões, o revestimento adequa-se ao traçado de pistas, sem sobressaltos.

Em locais onde o pavimento tenha sido prejudicado e a exposição das camadas mais profundas tenham sido expostas, o DNIT vai proceder como de rotina, retirando todas as camadas danificadas e recuperando desde as bases. O pavimento de microrevestimento já é utilizado em outras rodovias, principalmente as concessionadas. Esta é a primeira vez que este tipo de cobertura é utilizada na BR-101 Sul, para melhorias de pistas. O processo ainda está em testes e futuramente poderá ser utilizado na manutenção da rodovia federal.

Trabalhos nos próximos dias – Os usuários da BR-101 Sul catarinense devem redobrar os cuidados quando trafegar por trechos onde são realizados os trabalhos de aplicação do microrevestimento. Para seguir com a instalação, as equipes necessitam interromper uma das faixas de rolagem para circulação do caminhão-aplicador e secagem do material. Nessa semana, é preciso redobrar os cuidados próximo ao km 366 ao km 370, entre Morro da Fumaça e Içara.

Todas as frentes de trabalhos têm sinalização vertical provisória de obras, indicando a interrupção da faixa de rolagem. Os motoristas precisam respeitar a sinalização disposta, reduzindo a velocidade de tráfego para evitar acidentes.

Texto: Muriel Ricardo Albonico

GALERIA DE FOTOS